Dá para ser um estrategista criativo?

O pragmatismo e a criatividade necessariamente não são habilidades antagônicas. É possível desenvolver aquela que não é a natural e colher os benefícios de usar uma associada à outra.


O processo analítico pode - e deve!- ser altamente criativo. O trabalho de um estrategista, sobretudo aquele ligado ao desenvolvimento de estratégia de marcas ou produtos e serviços disruptivos, pede a habilidade de ir além da racionalidade para imaginar cenários, pensar visualmente, sonhar, cruzar e combinar coisas que aparentemente não fazer sentido, para gerar conteúdos novos e empolgante e rotas estratégicas únicas.


O poder do nonsense

 

Nessa hora, entra em cena até mesmo o maravilhoso poder do nonsense - ou em bom português - o potencial das bobagens! Sim, bobagens. Já reparou que coisas incríveis podem surgir de cenários malucos, da brincadeira, da zoeira? - olha os memes ai.


Acho que isso acontece quando baixamos a guarda e entramos num módulo “mais relaxado” e sem filtro, tirando o medo de errar do centro, pois o máximo que pode acontecer, é darmos boas risadas - o que fortalece o processo criativo como um todo - para assim, avançarmos para uma nova possibilidade, criando em cima da ideia do outro.


É importante nos permitirmos entrar nesse módulo, especialmente os estrategistas ou aqueles com perfil mais pragmático e analítico. Percebo que na medida em que ativamos esse lado, nos conectamos com nossa capacidade de abstração e subjetividade - terreno fértil para bons insights.


Inteligência criativa

 

A capacidade analítica e pragmática se beneficia, e muito, da subjetividade e da abstração. É quase como dar vida e olhar nas entrelinhas de números e dashboards. É dar alma, emoção e trazer o olhar do que acontece no dia a dia e na realidade das pessoas para as quais estamos criando. É pura inteligência criativa.


Para uns são universos não conciliáveis, mas é possível aprimorar e desenvolver o lado que não é o mais natural em nós. Numa composição de time isso fica mais fácil de balancear, em que podemos mesclar diferentes mindsets e habilidades.


Autoconhecimento é poder

 

Quando nos conhecemos e sabemos quais são nossas habilidades mais fortes, conseguimos usá-las a nosso favor e, ao mesmo tempo, buscar recursos e ferramentas para desenvolver as que não somos assim tão fortes. Conhecer-se e conhecer as habilidades e competências de seu time de trabalho é poder!


Para te ajudar nesse processo de autoconhecimento, disponibilizamos aqui um teste para começar a se aprofundar no entendimento de quais são suas caraterísticas mais fortes. Topa fazer?

 

Quiz

Quem é você no seu time? Qual é o seu padrão criativo?Descubra qual é o padrão dominante que rege a maneira como você trabalha e se relaciona no processo criativo.


Faça o seu e não se esqueça de compartilhar o seu perfil por aqui ;) . Enjoy




Descubra qual é o padrão dominante que rege a maneira como você trabalha e se relaciona no processo criativo.
Qual o seu perfil criativo?